quarta-feira, 2 de março de 2011

Akira Live Action - Roteiro descartado vaza

O site iO9 conseguiu páginas do roteiro de Akira, a adaptação do mangá/anime de Katsuhiro Otomo que a Warner Bros. atualmente desenvolve.

Ainda que tenha sua autenticidade comprovada por diversas fontes do site no estúdio, o roteiro - que foi enviado a diversos atores e atrizes convidados a participar da produção - está longe de ser o definitivo e trata-se de uma versão já abandonada. Aparentemente, a qualidade da adaptação foi um dos fatores que impediram que nomes de peso aceitassem o projeto, o que levou o estúdio a contratar Steve Kloves (autor de todos os roteiros de Harry Potter com exceção de Ordem da Fênix) para um novo tratamento do filme a ser dirigido pelos gêmeos Allen e Albert Hughes (Do Inferno).

Ideias desse script, adaptado originalmente por Gary Whitta (O Livro de Eli), depois por Mark Fergus e Hawk Ostby (dupla de Homem de Ferro e Filhos da Esperança) e mais
tarde por Albert Torres (Henry Poole is Here), podem ou não ser empregadas no próximo - só saberemos caso o projeto siga adiante com Kloves e tenha divulgadas novidades no futuro. De qualquer maneira, descubra abaixo como a Warner estava pensando em levar a história de Akira às telas em versão live-action:

  • Kaneda e seu amigo de infância Tetsuo manteriam seus nomes japoneses, mas se tornariam irmãos.
  • A personagem Kei se tornaria Ky e conheceria Kaneda na prisão. O protagonista, como no original, se interessa por ela, mas de maneira mais incisiva. Kei, novamente uma revolucionária anti-governo, também teria um conhecimento muito maior das experiências com as crianças superpoderosas e o mítico Akira.
  • Deixadas de lado no anime, as drogas pesadas teriam participação muito maior no filme. Tetsuo as engoliria o tempo todo para controlar seus crescentes poderes. Se a censura for definida para 13 anos, porém, é provável que elas sejam eliminadas.
  • O site reclama inúmeras vezes da qualidade dos diálogos, dignos de sitcom, algo que Kloves deve alterar significativamente.
  • A cidade de Neo-Tóquio seria alterada para Neo-Manhattan.
  • Uma das lutas entre Kaneda e Tetsuo se passaria em um... boliche. E pior, envolveria bolas de boliche sendo atiradas telepaticamente.
  • Com os nomes de Torres (que tem no currículo filmes assumidamente religiosos) e Hughes (Livro de Eli contém temas bíblicos) entre os envolvidos, parece que um subtexto messiânico existe no filme, na busca de Tetsuo por Akira. A frase "Akira. Eu ouço sua voz. Sou seu salvador. Aquele que vai ressuscitá-lo. Seu sopro de vida. Vou encontrá-lo. Libertá-lo. Ajudá-lo a desmantelar tudo outra vez" comprova esse viés inexistente no original.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...