domingo, 8 de maio de 2011

Domingos de corrida - Lamborghini American Challenge

Aee galera, de volta com mais um Domingos! Depois de três semanas o circo da Formula 1 desembarca na Turquia para realizar uma das provas mais espetaculares dos ultimos tempos. Disputas incriveis do inicio ao fim da corrida, um monte de gente tocando roda, espalhando na curva, paradas e mais paradas nos boxes, apenas um carro abandonando a prova, um verdadeiro show! Quer dizer, do segundo lugar pra trás né, porque Vettel e RBR estão sendo extremamente ignorantes! Simplesmente não sabem brincar rsrs!

Mas deixando isso de lado vamos ao game que é o que interessa, Lamborghini American Challenge.

Eu sou um grande admirador dessa marca, é claro que os ingleses Aston Martin moram no meu coração, mas a Lamborghini é uma das únicas marcas de origem italiana que me agradam (outra é a Maserati), talvez por me identificar com o velho Ferruccio e sua paixão por carros, ou talvez as alusões às touradas feitas nos nomes de seus carros. É claro que sendo veterinário eu não posso concordar com nenhum tipo de evento, seja esportivo, cultural ou apenas para divertimento que consista em entreter o
publico causando dor e morte de animais, mas acho interessante a maneira como a marca procurou homenagear esses animas nomeando alguns de seus carros.

O game (que apartir de agora chamarei de LAC) não foca muito nessa questão dos carros e da marca Lamborghini, pra falar a verdade a marca está lá só pra chamar a atenção mesmo - já que na época que o game foi lançado a Lamborghini era um destroço do que já tinha sido e andava bem mal das pernas - tanto é que o game é na verdade um upgrade de Crazy Cars III com poucas melhorias como o modo para dois jogadores.

Caixa do cartucho de Super Nintendo
Muitos pensam que o jogo foi lançado apenas para SNES, mas na verdade ele teve versões para Atari ST, DOS, Amiga CD, Commodore 64 e Game Boy, há poucas variações gráficas entre elas, exceto é claro, pela versão do Game Boy, bem mais limitada. A grande diferença nos consoles é o uso de passwords, enquanto nas versões para computadores pode-se salvar o progresso, porém esse foi um dos principais motivos de queixas ao game na época, pois para poder salvar seu progresso era necessário vencer quatro corridas seguidas para avançar no jogo e com isso liberar a opção de save.
Capa do jogo para Amiga CD

Os gráficos não eram nenhuma maravilha, na vedade estavam bem no estilo da época, mas os cenários eram meio pobres, bem como a variedade de carros, isso no tráfego, pois o jogador só pode escolher entre três corredores e todos pilotam Diablos, mudando apenas a cor do mesmo.

Acho que o principal foco de comparação seria Top Gear, e apesar de ambos serem bem parecidos, o game da Kemco leva a melhor em tudo. Jogabilidade mais apurada, mais detalhes gráficos e sensação de velocidade melhor. Trilha sonora eu nem preciso dizer, é um dos pontos mais marcantes de Top Gear, mas o som do LAC não é ruim, longe disso, trata-se de um Jazz tipo fusion de boa qualidade e que combina bem com o estilo do game.

O jogo te coloca numa disputa em corridas ilegais por todo os EUA, você corre em várias cidades do território norte-americano escolhendo os desafios disponíveis num mapa com as regiões do país, lembra o posterior Cruis's USA, mas aqui você pode escolher a corrida que quiser, desde que esteja disponivel.

Uma coisa legal é que rolam apostas, e apesar de ser tudo pré-programado, você pode incentivar os corredores a aumentar suas apostas cobrindo as deles, rola até umas provocações que ajuda a aumentar o clima fora-da-lei do jogo, pena que a arte usada  para os personagens seja meio feinha.

Algo interessante e que pouca gente sabe, é que o game é compativel com o mouse do SNES e a Super Scope 6 a "light gun" do 16 bits da Big N. O mouse apenas substitui o controller, você acelera com o botão esquerdo e usa o turbo com o direito, controla-se o carro deslizando mouse para esquerda e direita, para frear basta soltar o botão do acelerador. Já com o Super Scope 6, o game muda, e você entra num modo meio Mad Max mais mad ainda, atirando em tudo que se move durante a corrida. Se é legal? Bem diverte um pouco, mas não é lá grande coisa.

O game foi feito pela Titus e é legal falar um pouco sobre essa empresa, que pra quem não sabe foi a responsável pelo game Superman do N64, considerado por muitos como um dos piores games da história. O mais curioso é que o game do homem de aço até que vendeu bem no 64 bits da Nintendo, atingindo quase 500 mil cópias. Tá certo que hoje em dia isso pode não ser muito, mas na época, com o preço que era o cartucho de N64, dá até pra considerar um sucesso, quase o dobro que vendeu Megaman 64 por exemplo.

O mais interessante é que esse game foi totalmente refeito para ser lançado no PlayStation e estava pronto quando foi muito elogiado por alguns críticos que tiveram acesso a uma cópia de testes, porém nunca foi lançado porque a Titus não conseguiu renovar a licença do azulão com a Warner.

A empresa ainda lançou uma sequência de LAC para o N64 chamada Automobili Lamborghini, agora pense num game ruim, mas ruim mesmo! Ainda assim será melhor que esse game do 64 bits. O mais engraçado é que o game foi um dos primeiros anunciados após o lançamento do console, juntamente com Top Gear Rally, ambos impressionavam com imagens com gráficos incriveis nas revistas da época. O resultado final no entando foi terrivel em ambos os casos, porém curiosamente AL também chegou perto das 500 mil cópias vendidas! Parece que a empresa sempre procurou se manter lançando games licenciados de marcas famosas, sendo a Lamborghini e Superman os mais conhecidos, mas há outros bons exemplos como Blues Brothers, Xena, Top Gun e Carmageddon (a Titus publicou a versão do N64). Mas ela também já tentou seus pulos com games próprios e originais como Prehistorik Man e Incantation por exemplo, ambos para SNES.

A Titus fechou suas portas em 2005 após uma série de problemas financeiros e legais, seu ultimo game lançado foi Robocop em 2003 para XBox, GameCube e PlayStation 2 (GC e PS2 apenas na Europa) e o ultimo no estilo corrida foi Exibition of Speed para Dreamcast, infelizmente ambos os games são uma tosqueira completa.

Mas e aí você se pergunta: Será que vale a pena tirar meu SNES do armário para jogar esse jogo?
Até que vale viu, não é nenhum primor técnico, mas também não é nenhuma bomba que deveria ser enterrada nos confins do Novo México, joguei bastante o jogo quando era moleque. Com um amigo para tirar uns rachas pode ser uma boa diversão no fim de semana.
E se você for o feliz proprietário de uma Super Scope 6 - afinal hoje em dia aquele trambolho vale uma bela grana entre colecionadores - e não sabia da compatibilidade com o acessório, pode experimentar utiliza-lo, afinal, games que usem aquela coisa são meio raros mesmo rsrs.

Por hoje é só pessoal, próximo GP é o da Espanha, vamos torcer pra corrida da Catalunya ser tão boa quanto foi essa da Turquia e que a RBR pelo menos finja que está se esforçando para andar rápido desse jeito rsrs!

Abraços e até lá!


Clique aqui para ver o post anterior do Domingos

0 comentários:

Postar um comentário

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...