domingo, 31 de julho de 2011

Domingos de corrida (+ Marcão Vê) - Gran Turismo 5

Quem diria não? Depois de um GP maneiro em Nürburgring, uma corrida ainda melhor em Budapeste! Coisa dificil de se ver! É, essa temporada está legal, acho que eu é que sou meio chato mesmo, acabo vendo conspirações e maracutaias na maioria das vezes (deve ser porque as conspirações e maracutaias realmente estão lá), felizmente essas atitudes demoníacas de mentes nefastas do paddock nem sempre dão certo (São Pedro devia adquirir a FOM!) e hoje Button mais uma vez mostrou, como Burti disse no inicio da transmissão da Globo, que venceria quem tivesse cabeça! É legal ver um cara legal ganhar uma corrida legal de maneira legal pra variar. Aliás, 'legal" podia ser uma coisa mais frequente na F1 como foi nessa frase, mesmo que historicamente não seja assim, ah, mas olha eu sendo chato de novo!

Bem mas chega de papo, vamos ao game: Gran Turismo 5!


Eeeeeitaaaa! Nem só de nostalgia vive esse pequenino gamer (tá, não tão pequenino assim), e como o jogo ainda pode ser chamado de recém-lançado para os padrões vistos
por aqui, nada mais aceitável que seja feita uma avaliação do mesmo, por isso o "Marcão Vê" infiltrado no título!

O game de hoje é o mais recente lançamento de uma série que começou a quase quinze anos apresentando inovações marcantes para o gênero até então. Coisas como a grande quantidade de carros indo desde os modelos populares e relativamente comuns de se ver pelas ruas até verdadeiros monstros do JGTC, Le Mans, DTM e etc. Havia também uma espécie de "tutorial disfarçado" de exames de direção (o que tinha de gente falando em "tirar carteira de motorista" na época rsrs), entre outras novidades que o fizeram rapidamente ser escolhido como um dos melhores games do estilo em sua época.

Hoje a coisa está mais acirrada e GT5 já não goza de uma superioridade tão marcante aos demais jogos quanto já teve GT2 ou GT3 por exemplo. Além disso algumas de suas falhas "puxam" sua avaliação para baixo frente aos demais. Porém ainda é Gran Turismo, e somente GT é GT! Vamos ver o porque.

Um game de carros para quem gosta de carros
Eu sempre disse, desde a época de GT2, que GT não é um game de corrida, tampouco um simulador. Pelo menos para mim esses sempre foram aspectos secundários no game, eu jogava e jogo GT por causa dos carros. Eles é que são a principal característica do game, e é por isso que a quantidade de veículos é algo tão importante na série e fez a diferença no seu lançamento.

Ferraris, Mercedes, Lamborghinis, Vettes e etc já eram comuns em outros games. Um game de corrida, mesmo que não possuisse licenças oficiais, já tinham garantidos carangas semelhantes, super-esportivos eram quase que uma obrigação nesses games. Foi com GT que isso mudou, apresentando aos jogadores corridas com Corsas, Astras, Supras, Celicas e Corollas, além é claro dos trintões envenenados já carimbados.

Foram várias as vezes que ficava horas passeando pelos line-ups das montadoras de GT2 e também GT4, conhecendo carros novos, mas também comparando os modelos virtuais aos que podiamos ver pelas ruas (ou até na garegem, quem sabe? rsrs). GT2 ainda conta com um detalhe muito importante, e que infelizmente se perdeu em GT3 e 4, que era a presença da ficha técnica de cada um dos carros, contando inclusive detalhes da produção e curiosidades de alguns modelos. Pra quem gosta de carros isso era maravilhoso e certamente algo que sozinho conta muitos pontos a favor do jogo.

Eu sou um adorador de carros e suas histórias, GT5 trouxe de volta essas informações sobre cada um dos 1031 carros do game, além disso temos o Museu com uma infinidade de fotos e imagens históricas com detalhes e curiosidades sobre diversas montadoras, some-se a isso a alegria de encontrar videos de
Pebble Beach Concours d’Elegance na Gran Turismo TV  ... conseguem imaginar o sorriso desse crianção aqui?!

Para a maioria isso é perfumaria, mas não pra mim. Sério mesmo, se a Polyphony lançasse um game com os carros de GT5, as pistas de Mônaco, Nordschleife e Trial Mountain só pra gente testar as carangas e tirar fotos, eu comprava em pré-venda!

Tá mas e o game (mesmo)?
Ok, vamos às perfum ... digo, corridas.
Foto de Alex Stanczyk
Nada de muito novo foi acrescentado nesse sentido, a jogabilidade está bem parecida com GT4, exceto que agora o carro parece mais solto na pista, afinal a física mudou, agora eles capotam. Sem falar que agora sair da pista te faz perder o controle de verdade e grama, areia e brita realmente não são como o asfalto (mas eu ainda corto as chicanes de Le Mans - e que se foda!).

Os gráficos estão no padrão da geração, mas as sombras são esquisitas e quando o carro fica envolto em fumaça a coisa fica bem feia, fora isso eu não vi mais nada que ferisse os olhos, o ambiente está bem legal, mas é claro, eu não sou nenhum expert no assunto, então ...
Ah sim, tem a diferença entre os carros Premium e Standard, mas tirando a ausência da visão interna do veículo, os carros Standard seguram bem a onda.
A torcida está mais animada e realista do que em GT4. Esqueça aqueles caras estáticos com os braços levantados parecendo um esquadro ou cabideiro nas beiradas da pista, descer as ladeiras gramadas de Eiger e o pessoal em volta aplaudindo e balançando bandeiras é muito legal, dirigindo um clássico do anos 50 ou 60 então, dá uma sensação fantástica! Parece que estamos num Mille Miglia!

Foto de [C.N.C.] Fernando
A IA continua burra como sempre foi, os adversários ainda são robozinhos programados para fazer exatamente a mesma coisa toda corrida, a diferença é que eles erram um pouco mais, e com até 16 carros na pista isso fica até legal as vezes. É um barato ver um Yellow Bird perdendo a traseira e voltando pro meio do bolo fechando e batendo em todo mundo rsrs. Em todo caso, como um bom game de corrida, o principal adversário no fim das contas somos nós mesmos tentando vencer o relógio. Nada tão dramático quanto algumas Driving Missions de GT4, mas já vi uns desafios mais duros nos Seasonal Events. E como esses eventos são atualizados com certa frequencia, a renovação dos desafios ampliam bastante o gameplay.
E se levarmos em conta as disputas online, o problema da IA nem é assim tão grave afinal, a todo momento terá gente disposta a uma corridinha!

O som é do inferno ao paraíso! É muito legal escutar bossa nova nos menus, curiosamente eu pensei justamente isso jogando GT4. Pena que nunca comentei com ninguém para provar, mas eu sabia que esse estilo musical brasileiro casaria perfeitamente com a maneira "chique" como o game se apresenta. Ah e é sempre divertido entrar no GT Auto e escutar o ragtime The Entertainer e se pegar assoviando o tema.
Falando em menus, é estão mais organizados e tal, mas eu achava muito maneiro aqueles mapas, era bagunçado eu sei, mas eu gostava. Os menus de GT5 lembram os do terceiro game, e eu sinceramente achava aquele estilo meio pobre.

Meu xodózinho!
Já as músicas nas corridas é uma decepção! Não que sejam ruins, são até ótimas músicas (tá algumas são de doer) mas não combinam com uma corrida! Não dá um clima sabe? Ainda bem que a gente pode montar o nosso próprio set list usando o USB, atenua um pouco isso. Mas ainda acho um sacrilégio não ter Moon Over the Castle! Ok, as versões americanas da intro não trazem a musica mesmo, mas porra! Podiam ter deixado ela no game pelo menos como em GT4!

Já que falei na intro, ela parece meio esquisita no começo com aquelas cenas industriais e tal, mas depois que a gente descobre que ela foi baseada no texto "The Secret of the Automobile and of Things in General" do jornalista Reiichiro Fukuno, ela passa a fazer mais sentido. O video em si é, como sempre, de carros correndo, mas dessa vez assim como em GT2, a edição do video japonesa dá um banho na americana (mas a intro japa de GT2 ainda é insuperável!).

Vamo quebra tudo!
Ah o sistema de danos! A "fanboyzada" delirava com as imagens de carros sem porta, bagageiro aberto, para-choques solto e etc que eram liberadas antes do lançamento. Essa mesma "fanboyzada" também pedia por coisas "super importantes" como marcas de pneu na pista ou buzina por exemplo. Está tudo lá, mas eu já achava a coisa desnecessária antes do lançamento, me convenci jogando a bagaça.

Realismo né?
Realismo o meu pau de óculos! Se um carro bate no guardrail a mais de 200 por hora é fim de prova! Não tem amassado no para-choques, ou lataria caindo, é fim de prova e bora começar de novo, sem choro! É videogame caramba! Simulador dificulta a bagaça, afasta os gamers. Não ia dar certo saporra.

E além disso, mesmo que o sistema seja perfeito, acaba implicando em inumeras outras contestações do tipo: "Porra, seu eu bato o carro e ele amassa e se quebra todo, porque não acontece nada com o muro? Ou com o guardrail? Ou com a cerquinha na frente dos telespectadores na pista de Rally?"
Gran "Carmageddon" Turismo a vista! Nunca vai dar certo saporra!

Foto de Lucas Furlan
Só que ainda por cima o sistema de danos está longe de ser perfeito, por mais incrível que possa parecer, ele é baseado na quantidade de colisões e não na intensidade das mesmas. Sim, na grande maioria das vezes você pode enfiar sua Ferrari a mais de 300 por hora de cara no muro e o estrago será o mesmo se você tivesse resvalado na bagaça. E o que é pior, basta dar marcha-ré e continuar a corrida numa boa. Não sei o que é mais ridiculo, isso ou deixar o carro com as quatro rodas pra cima e ele voltar "piscando" pra pista! Isso é tão anos 90!

Por falar em quatro rodas pra cima, tava eu correndo em Deep Forest, ainda experimentando e conhecendo o game, lá pelo nível 10 A-Spec, quando me distraio para atender o celular, quando volto a atenção pra tela tá lá o meu pobre Miata capotado. Até me assustei, tinha me esquecido que essa era uma das "novidades" do game. Foi aí que resolvi baixar as atualizações para ver o "sistema de danos" aplicado na sua totalidade desde o início (no game original, o sistema de danos só atingia o seu ápice estando no nível 40).

Uma disputa online ontem (é, eu perdi pra essa Kombi...)
Foto de Lucas Furlan
Bem como eu já disse, é uma droga e foi assim que eu achei o grande ponto negativo do jogo, até então pra mim ele estava quase perfeito e a tempos não me divertia tanto com um jogo de corrida! Uma pena não ter opção para desativar isso, se bem que não faz diferença alguma, não sofro nenhum tipo de penalização por foder o carro todo e quando iniciar a próxima corrida ele estará novinho em folha, sem eu precisar gastar um centavo!
Não serve pra nada essa bosta! Ou melhor, até serve. Serve pra candangaiada ficar batendo a caranga que nem um retardado pra depois olhar o replay e dizer: "massavéi!" Deviam ter mandado essa cambada se lascar e limado isso do game, assim poderiam ter investido o tempo e dinheiro utilizados nessa coisa grotesca na programação de mais carros Premium.

Gran "Underground" Turismo? 
Uma outra coisa que percebi foi uma pequena mudança de ambientação, bem sutil é verdade, mas ela está lá.
Foram introduzidas disputas de Drift, que é um bagulho muito popular no Japão, não sei se gosto muito disso não, tudo bem que requer técnica e tal, mas é também um passinho para neons, calotas luminosas e essas inutilidades todas. E eu odeio essas merdas! Eu gosto de pegar carros milionários e correr ao sol de Monte Carlo, isso é Gran Turismo e não esses bagulhos de corridas clandestinas e piranhas dando a largada (no bom sentido claro).

Foto de Vitor
É inegável o aspecto mais "desolado" que Special Stage Route 5 recebeu. Não tem uma viva alma o percurso inteiro, as partes luminosas ficaram mais apagadas, ficando apenas as luzes dos postes das vias. Aquele curvão cheio de luzes piscando que levava para baixo do viaduto foi alterado, agora você sobe pelo viaduto numa curva escura e mal iluminada com aparencia de ter sido recém-construída. Sei não, Gran Turismo copiando Need for Speed é deprimente demais.

Conclusão
Bom, como eu disse lá no começo, a disputa agora está mais acirrada, hoje a coisa é bem mais parelha entre os games, principalmente na questão gráfica. Se bem que se levarmos em conta que talvez seja apenas GT4 aquele que possuía os melhores gráficos de sua geração, isso nem seja tão importante, o problema são os outros defeitos que ele possui. Posso até não achar o tal do sistema de danos algo tão importante assim, mas já que vão fazer que façam bem feito porra!

Foto de Nagano Nismo
Ainda assim dá pra coloca-lo entre os melhores atualmente, eu particularmente o tenho como o melhor, mas deve-se levar em conta que ainda não joguei alguns games recentes como DIRT3 ou NFS Hot Pursuit, sem falar que Forza4 vem aí! Se bem que se você for um fã da série, certamente vai adorar o jogo, ele tem tudo que os demais GT tem e mais um pouco!
Não saiu do console desde que chegou aqui em casa, e provavelmente ainda vai ficar por um bom tempo, o que é ótimo já que Tekken 6 não deu nem pro cheiro, e assim atraso um pouco mais a compra de novos jogos, meu bolso agradece!

Por hoje é só galera, F1 entra em férias e com isso o próximo Domingos é só daqui um mês! Até lá pessoal!

2 comentários:

ηagaηo ηismσ disse...

Seu resumo sobre o GT5 está perfeito! mas tem um porém rsrs, o Drift é tão popular no Japão quanto futebol no Paraguai, ai lá o Drift tbm é uma categoria do automobilismo, e o Drift não é bem tudo isso q vc falou n, pode até ter neons ou faróis de xenon, rodas luminosas eu nunca vi rsrs, mas assim, o Drift do GT5 é como o campeonato D1 ou Formula Drift, num é bem Underground como o do nidforispid underground, que na minha opinião isso sim é um jogo lixo!

teclei isso pq eu amo driftar de GT-R no GT5 \o/

aah, e eu sentia falta de eventos de Drift no GT4, o GT5 realizou isso hehe, vlw cara!

M. Murad disse...

@ηagaηo ηismσ

Obrigado pelo ocmentário meu caro.
Mas então, o futebol no Paraguai é sim bastante popular, se não me engano é também o esporte mais praticado no país, assim como no Brasil, note que quando eu digo popular estou me referindo a fato de ser bastante difundido, e não que determinado país ou local seria uma potência no esporte/estilo. Nesse caso, como você mesmo disse, no Japão existem até mesmo categorias voltadas ao drift, é portanto um estilo bastante difundido por lá!

Vou até ser sincero, nem joguei direito o modo drift de GT5, por isso o meu comentário sobre ele foi meio vago mesmo. Quando eu o relacionei com o estilo de jogo de NFS Underground (corridas clandestinas e etc) estava na verdade me referindo as origens do drift, que posso estar enganado, mas acredito que tenha se iniciado de forma amadora, e até mesmo de maneira ilegal como os rachas, mas não tenho muito conhecimento a respeito disso, por isso peço desculpas se cometi algum erro.

Mas eu sei que hoje em dia o drift é sim uma competição séria e que requer bastante técnica e perícia, só não gostaria que o foco da série acabasse voltado demais para esse estilo, porque apesar de tudo, te confesso que não sou muito fã não rsrs.
Mas se fizer sucesso a Polyphony podia estudar o lançamento de um game tipo spin-off focado totalmente no drift, acho que teria um publico legal também!

Abraços e muito obrigado pela visita!

Postar um comentário

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...