domingo, 24 de julho de 2011

Domingos de corrida - Daytona USA

Mais um Domingos na área, e hoje pra falar de um GP de Nürburgring que foi até legal, nada que se diga: "nossa que puta corridaça", mas se levarmos em conta a monotonia que se abate por lá nos domingos de F1 o de hoje até que foi bom de assistir. Teve várias disputas, bons pegas, Ferrari fazendo merda, enfim ingredientes que costumam divertir num fim de semana de GP.
E aparentemente podemos ter esperanças de ver uma disputa entre Vettel e Hamilton pelo título ao longo desta segunda metade da temporada, só espero que descabeçados do jeito que são não acabem deixando o caneco cair no colo do Alonso.

Mas vamos ao game, saindo da travadeira que é Nürburgring para as disputas nos ovais dos EUA, ou melhor para "O" oval dos EUA (que no fim das contas nem é oval rsrs): DAYTONA USA!!

Gentlemen start your engines

Demorei pra falar desse game né? Confesso que esqueci (!), não sei o que me deu, por favor me perdoem!
Daytona USA é um ícone, um marco na história não somente dos games de corrida, mas da indústria como um todo. E isso se dá por vários motivos, esse game representa várias coisas.
É o jogo que mostrou de fato onde é que os polígonos eram mais necessários, é claro que as
lutas com vários angulos de visão de Tekken ou Virtua Fighter eram legais, ou passar no meio de prédios e construções com uma Airwing dava uma imersão incrivel na jogabilidade, mas é nos games de corrida que a "sensação de espaço" gerada pelo uso dos polígonos se fazia mais presente.

Virtua Racing
Sim eu sei que Virtua Racing veio primeiro (e tinha até mais polígonos que Daytona) mas foi com o Hornet que finalmente tivemos a sensação de estar controlando um carro mesmo, de verdade! Nós realmente direcionavamos o veículo pelo pavimento, não se tratava de uma pista desenhada que "vinha" em direção ao carro. Nós de fato precisávamos virar o volante para fazer uma curva. Cara, não tem como descrever, quem experimentou isso na época sabe: era legal pra caralho!

Esse jogo também marca uma época espetacular da Sega, quando ela mandava nos games de corrida, e criava tecnologias, principalmente no arcade, de deixar todo mundo de boca aberta. Daytona USA foi o game inaugural da Model 2, placa espetacular que nos brindou com outros games incríveis como Dead or Alive, Virtua Fighter 2, Sega Rally, The House of the Dead entre outros excelentes games. Dava gosto em frequentar "fliperamas" nessa época.

Pra mim ele faz parte de uma tríade (repararam como gosto do numero 3?) que mais do que definir uma ordem de preferência pessoal, quase serve como parâmetro para avaliar um bom "fliperama". Por mais que arcades hoje não estejam mais na moda, e os poucos que tentam manter um espaço com algumas máquinas tem que lutar para que o lugar não vire uma  "boca-de-fumo", ainda é legal encarar alguns games com o barulho do ambiente ao redor e uma galera em volta te chamando para uma disputa. Por isso, siga a indicação do Marcão: se o lugar tiver um Street Fighter (pode ser qualquer um, até o "de rodoviária", mas se for o II é melhor ainda), Tartarugas Ninja (aquele de quatro players da Konami) e Daytona USA, pode pegar umas fichas (ou carregue o cartão) e divirta-se, o lugar é um "arcade de respeito" rsrs.

Traçado do circuito de Daytona
Voltando ao negócio dos ovais, Daytona 500 é talvez a prova mais tradicional do calendário da NASCAR, talvez até mais do que as 500 milhas de Indianápolis, os próprios americanos a consideram como o "Super Bowl das corridas de Stock". Trata-se de uma pista com um traçado chamado tri-oval, que recebe esse nome porque sua forma lembra um triangulo "misturado" com um oval. Diferente dos ovais tradicionais com quatro curvas, este possui uma quinta, no caso de Daytona, localizada junto a reta dos boxes. Eu particularmente não gosto de ovais, prefiro circuitos mistos e de rua, mas como uma caralhada de gringos lotam as arquibancadas todos os anos para assar hamburguers, encher o rabo de cerveja e assistir essas corridas, deve ter a sua diversão também.
Logo oficial
O game traz, além do nome Daytona, o logo oficial da marca,e no entanto a pista em si não está no game (!). Pois é, apesar do Beginners Course até lembrar um pouco a forma do tradicional circuito, aparentemente o nome Daytona está lá só pra "chamar a atenção" mesmo, as outras duas pistas são de circuitos mistos e nada tem a ver com a NASCAR.

Os carros que se diferenciavam entre Automático (azul e vermelho - aprox. 315 km/h de velocidade máxima) e Manual (Vermelho, amarelo e preto - aprox. 325 km/h de velocidade máxima) lembravam uma mistura de Chevrolet Beretta e Lumina (ou pelo menos assim se falava na época) , porém ambos nunca fizeram parte do grid da NASCAR.

As pistas traziam detalhes inusitados e até mesmo irreais como uma enorme máquina de caça-niqueis com alavanca e tudo bem no meio do traçado, estatua de personagem de Virtua Fighter ou então uma montanha com a cara do Sonic esculpida na pedra. Por falar em detalhes, era exatamente isso que mais chamava a atenção, e muitos são responsáveis por tornar o game tão espetacular. Marcas de pneus na pista, todo o trabalho dos mecânicos no pit, vidros que refletiam o céu, batidas e capotagens espetaculares, volante com force feedback, até 40 carros na pista sem nenhum tipo de slowdown e tudo isso rodando a 60 quadros cravados! Porra caralho! Fala sério, isso em 1994 era fantástico!

A máquina em si já chamava a atenção, inicialmente eram dois modelos, um mais simples de dois assentos e monitor de 29 polegadas e outro chamado Deluxe com um assento simulando o Hornet e monitor com incríveis 50 polegadas. E as máquinas ainda podiam ser conectadas, quando ia no shopping com os amigos uns tempos atras eram três máquinas de dois assentos conectadas, era uma farra as disputas com outros cinco colegas. Aparentemente durante as revisões e relançamentos outros tipos de máquinas foram lançadas, já vi fotos de algumas no estilo vertical onde o jogador dirige de pé, com o pedal na base da máquina.

O som é outra coisa que marcou bastante, o ronco do motor por exemplo, muda de acordo com a posição da camera, que são quatro diferentes (outra coisa que chamava a atenção na época). As músicas, outro ponto que a Sega sempre mandou muito bem, era outro fator que aumentava a diversão. Com canções compostas e cantadas por Takenobu Mitsuyoshi (que tem uma voz mais engraçada do que bonita por assim dizer), o game deixou gravado na memoria canções como Sky High ou Let's Go Away.

Tenho até uma história curiosa com a música The King of Speed (também conhecida como Rolling Start). Por algum motivo eu achava que quem cantava a tal da música era Ricky Martin (!), não fazia idéia do porque, mesmo depois ler sobre as músicas e descobrir que se tratava do Mitsuyoshi cantando, eu tinha certeza que uma das músicas era uma versão ou modificação de María do ex-Menudo. Tempos atrás foi escutar a tal de The King of Speed e me lembrei disso, foi então que comparando as músicas percebi que o "O OOO OUOUOU" (ou algo assim) do refrão eram muito parecidos (pra não dizer iguais), confira nos videos:

The King of Speed - Takenobu Mitsuyoshi - Original Arcade Version
Confira a partir de 0:54

María - Ricky Martin
Confira a partir de 0:27

Ou então é apenas mais uma doideira da minha cabeça.

Outra "curiosidade sonora" era caso conseguisse entrar no quadro de melhores tempos e colocasse algumas iniciais específicas, algumas músicas de clássicos da Sega começavam a tocar, por exemplo se fosse colocado as iniciais H.O. poderia-se escutar a musica de Hang-On, ou então V.R para escutar o tema de Virtua Racing, tem vários outros temas escondidos, e isso também funcionava na versão do Saturn.

Por falar em versões, teve um relançamento para arcade em 2010 sob o nome de Sega Racing Classic (já que a Sega não possui mais a licença sobre o nome Daytona), em alta definição com monitor 16:9 de 32 polegadas, mas não tenho muitas informações sobre ele. Além desta houve várias outras entre consoles e PC, uma primeira para Saturn como já citado, seguida por uma de PC. Ambas nem se comparam com o arcade e a Sega ainda ainda fez uma espécie de atualização para tentar provar que o Saturn servia para alguma coisa. Ainda teve a sequência Daytona USA2, umas revisões e atualizações no arcace e Dreamcast e até o desenvolvimento de uma versão para 32X que acabou cancelada (ainda bem).

Nenhuma porém chegou aos pés do sucesso e qualidade do primeiro, que ainda vive firme e forte em muitos arcades mundo afora.
Enfim um game que certamente figura no hall da fama dos melhores jogos de corrida de todos os tempos!

Bom pessoal por hoje é só, até a próxima com mais um Domingos!


Clique aqui para ver o post anterior do Domingos

0 comentários:

Postar um comentário

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...