domingo, 16 de outubro de 2011

Domingos de Corrida - Flatout 2

Corrida bem normalzinha a dessa madrugada, Vettel passando bosta na cara de todo mundo, Ferrari e Alonso com suas maracutaias (se bem que nesse caso o Massa que se foda mesmo) e uma pistinha lazarenta de ruim de ultrapassar, claro com a assinatura daquele alemão retardado.

Teria sido apenas mais uma prova mediana do campeonato, que não mancha em nada a fantástica tempoarada que tivemos esse ano, mas por se tratar de uma corrida às quatro da manhã em plena mudança pro horário de verão, pode-se dizer que fiquei meio puto.

Ainda tô meio com sono, por isso não vou me alongar muito com o game de hoje, mesmo porque não há muito pra se falar dele, mas é um jogo tão legal que quem não conheçe eu faço questão de indicar:

FlatOut 2

Lá no longíquo ano de 1997 eu ganhei meu primeiro PC. Mamãe estava preocupada porque já fazia quase um ano que eu tinha termindao meu curso de 120 horas na Microcamp e desde então mal tinha tocado num computador, por isso ela resolveu me presentear com um incrível Cyrix M2, 333Mhz e 32 MB de RAM!!
Não ria! Esse bichinho resistiu valente até o ano de 2004(!) rodando lisinho (tá, as vezes ele
fazia uns barulhos estranhos) a cópia original do Windows 98 que o acompanhou,. Tenho CD e manual guardados até hoje (quem sabe um dia algum maluco colecionador resolve pagar uma grana nele).

Nessa época o maior barato era comprar a Revista do CD-ROM (eu pelo menos achava o maior barato) vinha com vários programas grátis, jogos demo que para rodar necessitavam de uma placa 3D (lembra dessa? rsrs) além várias outras porcarias com as quais eu fazia questão de entupir o PC.

Não ria de novo! Foi através de revistas assim que eu conheci o maravilhoso Roller Coaster Tycoon, os simuladores de caça F-22 Lightning e um incrivel tema para Windowns de GoldenEye 007 que sempre dizia "Welcome Mr. Bond" cada vez que eu iniciava o PC. Coisa fina!

Então, essa ladainha toda porque me peguei noltalgiando com essa época quando mamãe aparece e me entrega uma revista chamada Playgame com o disco de FlatOut 2. Segundo ela me explicou, perguntou ao jornaleiro se tinha alguma revista de videogames porque o "filhinho" dela gosta muito desses joguinhos!
Sério, eu gostei muito disso, foi algo inesperado mas muito bacana rsrs.

Enfim, adorei o presente de mamãe (sério mesmo) e disse que iria joga-lo na mesma hora deixando-a radiante (adorei isso também)! Mas achei que não iria conseguir, meu PC atual não é ruim, mas a placa onboard ferra com a coisa toda rsrs. Mas arrisquei, e não é que rodou lisinho? O que é ótimo, pois tem tanta coisa aí que precisa de um monte de bosta pra rodar e que não tem um décimo da diversão que este game proporciona.

E o jogo é bom mesmo, achei os gráficos muito legais, devem ter chamado a atenção na época de lançamento, pois ainda hoje estão num padrão muito bom, tem uma trilha sonora muito bacana com Rock, Punk entre outros estilos (eu acho, não lembro direito, faz um tempinho já desde que joguei) e uma ótima jogabilidade.

O game possui três "classes" de veículos: Derby, Racing e Street. Apesar de parecer que os primeiros carros disponíveis (Derby) sejam inferiores aos das outras classes, cada uma na verdade tem suas qualidades e deficiências. Os Derbys sendo praticamente carros feitos de "sucata" são geralmente mais indicados para as disputas de destruição em arenas os chamados Destruction Derbys (sim é o nome do outro game, mas essas competições existem de verdade).

Os modos de jogo são basicamente corridas e derbys, mas existe bastante variedade de pistas e cenários o que faz o jogo ser bastante diversificado, além da grande quantidade de carros e da possibilidade equipa-los com vários tipos de peças e acessórios. O game também conta com um sistema de pontuação  de acordo com a intensidade das colisões com os adversários, coisa comum nesse tipo de jogo. Por falar em colisões, essas são um barato, e muito legais de se ver.

Além disso ainda existe uma espécie de modo stunt, onde o piloto vira uma espécie de projétil e deve ser arremessado em determinados locais para conseguir pontos. Tem arcos-de-fogo, quadro de dardos, boliche, e até disputa de penaltis, entre várias outras "modalidades".
Sério, esse é um dos principais atrativos do game! Cheguei a ficar horas e horas jogando nesses modos, é divertido demais! O cara sai voando pelo parabrisas, vai se arrebentando pelos obstáculos no caminho e acaba caindo no chão todo desconjuntado. Nunca perde a graça!

Aliás, apesar de nada realista, em alguns países o piloto (que aliás você pode escolher no inicio do game entre vários, cada qual com sua história) foi substituído nesse modo por um daqueles bonecos que as empresas automobilisticas usam em crash-tests.
Outra coisa curiosa é que o game foi lançado na Russia antes de qualquer outro lugar do mundo, não me pergunte o porque. Achei que talvez fosse porque a Bugbear Entertaimente desenvolvedora do game fosse russa mas não, ela é finlandesa.

Por falar na Bugbear, eles aparentemente se especializaram em desenvolver games de corrida, já que todos os seus games são desse estilo (natural, finlandês é aficcionado por velocidade). Tá certo que não são muitos, mas tem alguns destaques como a versão para PSP de Sega Rally Revo e o Ridger Racer Unbounded ainda em desenvolvimento.

Bom, acho que é só isso mesmo, não há muito o que falar sobre, ele não é espetacular em nenhum quesito técnico, na verdade é bem simples até, mas é divertido pra caramba e é isso o que mais importa. Se gostar do estilo não perca a chance de experimenta-lo, ou então dá uma corrida na banca,  ainda deve ter por lá, essas revistas ficam sendo relançadas durante um bom tempo. Custou quinzão, nem é muito caro, e não deixa de ser um game original, até corri online com ele!

Dia 30 eu volto pra comentar sobre a primeira corrida de F1 na India! Até lá!


0 comentários:

Postar um comentário

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...