domingo, 9 de outubro de 2011

Domingos de Corrida - San Francisco Rush

A temporada de 2011 da Formula 1 evidenciou o fato de que a Red Bull Racing é hoje um time imbatível.
Possui o equilibrio perfeito de máquina/humano e não apenas porque Sebastian Vettel é um piloto excepcional mas a equipe como um todo é simplesmente espetacular seja no trabalho de estratégia de corrida bem como nas paradas de pit-stop. Prevalecendo essa regularidade e eficiência nos próximos anos e não havendo "atitudes externas" que venham a prejudicar o trabalho da equipe, muito provavelmente teremos mais alguns anos de superioridade absoluta dos touros vermelhos no grid da F1.


A corrida de hoje como sempre tinha tudo pra ser mais uma excelente diversão e assim foi, Suzuka é simplesmente fantástica, a prova viva de que os circuitos antigos da F1 por mais que também sofram com o avanço tecnológico dos carros, sempre rendem excelentes disputas. Foda é acordar as três da manhã, mas nada é perfeito nesse mundo rsrs. Mas enfim, parabéns Vettel, título merecido e obrigado pelo X2010!

O game que vou comentar hoje chamou bastante atenção na sua época e junto dos grandes do estilo tinha tudo para estar entre nós até hoje, infelizmente nem sempre as coisas acontecem da maneira que esperamos, mas San Francisco Rush continua tão
divertido como quando estave no seu auge e com sorte até dá pra achar em alguns arcades hoje em dia, mas se não achar ainda tem a versão dos consoles que seguram bem a onda.



Eu conheci o game no arcade, seu foco não era gráficos de ponta, jogabilidade apurada ou som inesquecível, mas sendo competente em cada um destes itens conseguia uma mistura onde o resultado era a diversão desenfreada. Ele seguia o padrão dos games de corrida no arcade, com checkpoints pela pista para que o tempo de uso de uma ficha não fosse muito longo rsrs. A dificuldade estava no nivel dos games de arcade (pelo menos naquele onde eu joguei os caras eram bacanas) mas por mais que não se fosse assim tão habilidoso no volante a diversão que o game proporcionava sempre incentivava o jogador a deixar mais uma fichinha na máquina.
O jogo marcou a estréia da engine Flagstaff da Atari.

O esquema de jogo é simples, você está numa corrida e tem que chegar em primeiro, mas a jogabilidade aliada a gráficos bacanas e uma gravidade quase lunar em alguns pulos fazia a coisa ficar muito legal. Não havia veículos licenciados e nem seria legal se tivesse, o esquema gráfico era cartunesco e o visual dado aos carros além de bacanas eram carismáticos bem como os modelos reais onde tiraram algumas inspirações como Kombi e Fusca.

Joguei pouco no arcade, mas muito no N64. E aqui é interessante observar como o console "disfarçava" bem as suas limitações e alguns games do arcade aparentemente não tinham muitas diferenças aos olhos mais leigos quando rodando em cartucho.
Nunca entendi porque algumas revistas reclamavam tanto da perda sonora que o game teve no Nintendão, não via assim tanta diferença, mas jogando o jogo um tempo depois numa máquina um tanto esquecida num arcade pouco movimentado percebi que eu não me lembrava de músicas e efeitos sonoros tão legais quando jogava no N64 da locadora, chegando em casa botei a rom no emulador e de fato constatei que as perdas eram mesmo significativas, sem falar no tamanho da tela que rodava dentro de uma "moldura" preta rsrs.

Mas isso não tira os méritos do game, que continua tão divertido quanto era na sua época, coisa rara em jogos de corrida. Talvez justamente pelo seu estilo gráficos onde a passagem dos anos e evolução gráfica não surtem muito efeito. Tanto o game original quanto sua sequência Rush 2 podem ser jogados hoje em dia sem problema nenhum, aliás Rush 2 eu só fui conhecer muitos anos depois, na época da facul, lá por 2005 ou 2006 mais ou menos, quando o máximo que meu Sempron rodava era o emulador do N64, joguei várias semanas a fio ao som, não me pergunte o porque, de Pink Floyd.

Ah o Rush 2 tem uma curiosidade, além de possuir apenas as chaves espalhadas e escondidas pelas pistas que quando coletadas davam acesso a carros e cheats secretos, ele também conta com latinhas de Mountain Dew, refrigerante gringo que patrocinava o game.

O mais legal do game certamente é a sua física, as pistas rolam pela cidade de San Francisco e portanto fazem uso de suas tradicionais ladeiras íngrimes, sempre de forma bastante exagerada os carros literalmente voam a cada salto e as pancadas e colisões entre os veículso aumentam muito a diversão. Sabe aqueles games de corrida e destruição onde a gente meio que por instinto tenta apertar o botão de acelerador com mais força na tentativa de aumentar o impacto na hora da batida? Pois é, Rush é assim.

O jogo teve versões para arcade, Nintendo 64 como já dito e também para PlayStation, mas essa eu nunca joguei. Aparentemente teve o som todo refeito contando com novas músicas e até outro narrador, a fisica parece que também sofreu algumas alterações e os carros não decolam com tanta facilidade no console da Sony.
Ah, no arcade foram três versões sendo que na segunda chamada San Francisco Rush: The Rock, também conhecida como Alcatraz (The Rock é o apelido para a prisão que ficava na ilha e que a tornou famosa) trazia novos carros e pistas, uma dessas novas ficava em (adivinhem) Alcatraz. A versão do N64 trazia uma espécie de mistura de pistas e carros das duas versões, e Alcatraz estava presente como pista secreta. Não sei como é no PS1, mas deve ser parecido.

Ainda houve um arcade do game nomeado Wave Net, e que permitia partidas online.
Depois dos dois primeiros jogos a série ainda ganhou uma terceira versão chamada San Francisco Rush 2049. Jogo bacana com visuais fantásticos lançado para arcade, N64 e Dreamcast. Joguei a versão do console da Nintendo também no emulador e dá pra dizer que o mesmo possui um dos visuais mais espetaculares que já vi no console. Mas o jogo é meio genérico e enjoa em pouco tempo.

Além disso, teve um game parecido e feito sobre a mesma engine de San Francisco Rush, chamado Califórnia Speed. Nunca joguei a versão do arcade, mas a do N64 é uma droga lixenda que nem vale a pena comentar, passe longe.

Há quem diga que L.A. Rush pertença a série, mas do pouco que vi do jogo acho que a única coisa que possuem em comum é o título Rush e serem produzidos pela mesma empresa.
Ah, San Francisco Rush foi relançado na coletânea Midway Arcade Treasures 3 para GameCube, PlayStation 2 e PC, como som renovado.
Além disso versões para Game Boy Color e PC chegaram a ser anunciadas em 1998, mas acabaram canceladas.

Esse é uma recomendação do Marcão, com um pouco de sorte ainda pode ser encontrado em alguns arcades por esse mundão afora, se nunca jogou, jogue! É muito divertido e vale a pena, até hoje!

Semana que vem eu volto junto do GP da Coréia do Sul, torcendo por mais uma corrida legal e mais um jogo bacana pra gente relembrar ou conhecer. Até lá!


1 comentários:

NewJhonny64 disse...

Simplesmente o melhor jogo daquela época, e sinceramente, até hoje a série RUSH é dominante aqui em casa.. realmente ainda sou viciado demais!! ótimo aritgo

Postar um comentário

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...