domingo, 25 de setembro de 2011

Domingos de Corrida - Mach Rider

Vamos chegando a reta final da temporada de F1 e quase que já deu pra entregar o caneco do campeonato pro Vettel hoje, e bem que podia ter sido assim viu!
Quando um piloto dispara dessa forma e ganha o campeonato antecipadamente temos a oportunidade de visualisar uma disputa mais justa nas grandes equipes. Afinal é natural que não se aplique o mesmo empenho para se conseguir o vice-campeonatro quanto seria para o primeiro, dessa forma podemos ver uma equipe trabalhando de maneira igual com seus pilotos sem um foco definido, isso já pode ser visto na McLaren, é notória a melhora de Button quando este passou a receber um tratamento não tão diferente do que é dispensado ao Hamilton e após o título de Vettel é bem provavel que a RBR passe a entregar o mesmo carro ao Webber. Só na Ferrari mesmo que não se espera muita coisa, eles não sabem trabalhar sem que seja de maneira suja, só ver 2008, 2009. Se bem que do jeito que o Massa tá pilotando a bagaça, não faria diferença alguma.

Bom vamos ao game de hoje, um jogo meio esquecido e que não passou da primeira versão, que pra ser sincero não é lá grandes coisas mesmo. Mas joguei bastante no meu finado Top Game: Mach Rider.


No ano de 2112 a Terra foi invadida por estranhos seres chamados Quadrunners, o jogador controla um motoqueiro através de várias áreas em busca de sobreviventes e destuindo
inimigos pelo caminho. E é isso. Adoro essa simplicidade dos games nos anos 80!

E simples era o game, que consistia em apenas acelerar até o fim do percurso desviando de obstáculos e inimigos e com alguma sorte até atirar em alguns deles. Ou pelo menos eu achava que era só isso, pra ser  sincero eu joguei bastante esse game mas não gostava muito dele não.
Ganhei do meu velho num aniversário, fomos a uma loja e ele disse para eu escolher o jogo que eu quisesse. naquela época não tinha propaganda de games, videos, internet e etc. As poucas revistas de jogos não contavam comigo como leitor já que eu nem sabia que elas existiam. O principal meio para se escolher um jogo era jogar na casa de um amigo ou levar aquele que tivesse a capa mais bacana. Fui pela capa.

A procura do meu  Identical Hand Twin
Zippy Race (que eu já comentei por aqui) não saía do console e aparentemente eu estava muito empolgado com motos por causa disso. Lado-a-lado estavam dois cartuchos CCE pendurados numa pequena arara sobre o balcão, um era Mach Rider com sua estilosa motoca futurista dando tiros que você pode ver ao lado e o outro trazia o desenho daquilo que parecia ser uma moto de motocross. O Marcão aqui, como a maioria dos pirralhos dos anos 80 era fã de qualquer coisa futurista como Super Máquina ou De Volta para o Futuro, portanto é natural que o escolhido tenha sido Mach Rider.

Passei muito tempo entre jogatinas frustradas pensando em como seria o tal do game de motocross, não é que o game fosse ruim, mas como eu tinha Zippy Race como parâmetro de comparação, que possuia sua jogabilidade baseado no reflexo do jogador em evitar colisões e uma visão superior que ajudava bastante nisso, Mach Rider acabava parecendo meio aleatório demais, com uma jogabilidade imprecisa e velocidade muito alta para a visão em "terceira pessoa" que o game possuía.
Não importava muito a habilidade do jogador na hora de desviar dos obstaculos e inimigos e sim a sorte de não ter ninguém na sua frente. Atingir os inimigos com os tiros era pura loteria.
Pode ser também que eu não soubesse frear, aliás não sei até hoje, já que eu continuo acreditando que as curvas milagrosamente se tranformarão em retas se eu continuar acelerando, mas enfim ...

Ah sim, joguei bastante porque as coisas eram um pouco mais dificeis naquela época e jogos não eram tão abundantes lá em casa, e como nenhum dos meus colegas queria o game nem emprestado, ele estava sempre lá no canto da estante e eu sempre acabava jogando um pouco.

Os gráficos não eram nenhuma maravilha, a jogabilidade como eu já disse era bem ruinzinha, parecia que corríamos no sabão, havia um modo para criação de percursos que eu nunca consegui usar, muitos anos depois é que eu fui descobrir que para poder correr nos trajetos que criávamos era necessário o gravador de K7 do Famicom. De marcante mesmo, apenas o som.
A musica tema do menu principal está gravada na minha memória e foi legal descobrir, durante as pesquisas para fazer esse texto, que existem homenagens a ela e ao game em si nos jogos mais atuais da Nintendo.

O "primeiro" Mach Rider
Isso é uma coisa que eu gosto da Big N, ela preza muito pela sua história, e sempre procura trazer de volta coisas do seu passado, seja na forma de pequenas homenagens ou mesmo ressuscitando antigas séries ou personagens. O próprio Mach Rider, assim como Duck Hunt, tem seu nome vindo de um brinquedo lançado pela Nintendo em 1972 que consistia em um carro de corrida com uma base que permitia-lhe dar velocidade para pular de uma rampa que acompanhava o pacote.

Mach Rider foi relançado em 2007 no Virtual Console do Wii, mas antes disso ele já vinha sendo lembrado em outros games.
Em  Super Smash Bros. Melee uns remixes da trilha sonora, incluindo a música da tela de título, a da seleção de pistas, a música das corridas e o jingle de game over. Há um troféu do Mach Rider que pode ser ganho e que mostra o personagem em detalhes em sua motocicleta. No troféu pode-se ler algumas informações a respeito do personagem.
 
Em Super Smash Bros. Brawl, Mach Rider se tornou um dos muitos stickers do jogo, enquanto o remix do medley de Super Smash Bros Melee voltou, só que desta vez para o estágio
Port Town: Aero Dive, ao invés de Big Blue (também baseado em F-Zero) como no antecessor.
Além disso um dos microgames de WarioWare: Twisted! é baseado em Mach Rider e umas das motos em Mario Kart Wii é a Mach Bike.

O jogo também foi lançado em uma versão para os arcades Nintendo Vs. Series que se tornou notória por mostrar uma imagem de como é Mach Rider fora da moto, apesar de que, diferentemente de Samus, ele não tira o capacete. Nota-se uma certa semalhança com Captain Falcon.

Taí um game que a Nintendo podia ressuscitar também como fez com Excitebike 64 (aliás, o Excitebike original era o outro cartucho na loja que preteri em favor de Mach Rider, acho que nem fiz tão mal negócio no fim das contas rsrs) e vai fazer agora com Kid Icarus. Talvez ajudasse um pouco se deixassem F-Zero uns tempos na geladeira e investissem num novo Mach Rider. Quem sabe diminuiria esse status de fodão que F-Zero tem hoje em dia e o hype que ronda qualquer coisa sobre a série. Star Fox tem sofrido bastante por conta disso nos ultimos anos.

Bom galera, por hoje é só, próximo GP é em Suzuka, pista fantástica que consagrou muitos pilotos e  nos trouxe os títulos de Senna e um de Piquet e que agora assistirá o bi-campeonato de Sebastian Vettel. Até lá!


0 comentários:

Postar um comentário

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...