domingo, 11 de setembro de 2011

Domingos de corrida - Jet Moto

Ae! Mais uma ótima corrida em Monza como quase sempre ocorre por lá. Muitas disputas acirradas, uns pegas muito legais naquela velocidade estonteante que só Monza oferece. E quem diria, o vovô resolveu mostrar que ainda entende do bagulho! Hamilton vai ter pesadelos com a traseira da Mercedes essa noite, ainda com o Button em apenas uma volta mostrando como é que se faz rsrs. Enfim, mais uma corrida maneira, mesmo com o Vettel dando todos os sinais de que acabará com o campeonato mais cedo esse ano.

Muito bem, agora vamos voltar para o ano de 1996, mais precisamente em 31 de Outubro, dia em que o Jet Moto foi apresentado ao mundo.


Como o PlayStation tinha bons games de corrida nos seus primeiros anos não?! Aliás não apenas nos seus primeiros anos, o console da Sony conseguiu se manter quase que boa
parte de sua existência com um ótimo fluxo de jogos da maioria dos gêneros. Mas pra quem curte games de corrida, essa realmente foi uma época fantástica, além dele tinhamos Destruction Derby, WipEout, Ridge Racer, The Need for Speed, Impact Racing, entre outros tantos que deixaram boas impressões nos jogadores.

Jet Moto, ao contrário do que possa parecer a primeira vista, tenta fugir da idéia tradicional que temos de games de corrida futuristas com cenários pós-apocalípticos escuros e cheios de neons e competidores dispostos a tudo para vencer. Logo de cara percebe-se que o jogo não possui armas, algo até que considerado comum nesses games, os cenários apesar de possuirem algumas localidades meio devastadas como vias expressas semi-destruídas ou prédios em ruinas, procura colocar o jogador numa atmosfera mais amigável, à luz do sol ou em localidades que não remetam tanto a um estilo muito futurista ou cyberpunk.

Com efeito, o jogo procura transportar o jogador a uma ambientação tão realista quanto possivel dentro do contexto do game, dando a entender que se trata de uma competição automobilistica real dentro do seu universo com suas regras e organizações. Para tanto o jogo se vale de artifícios simples como por exemplo anunciantes pelas pistas e patrocinadores nos veículos, alguns reais como Mountain Dew e Butterfinger e outros fictícios como K2 e Axiom, criados especificamente para o game. Porém, as telas de menus e seleçãode personagens o jogo apresenta um visual que remete a HQ's, com vários desenhos e ilustrações, é bonito de se ver, mas sem um modo história ou algo do gênero isso acaba ficando meio sem sentido.

Você controla motocas futuristas em estilo hovercraft, como eu disse não há armas, o jogo se foca na disputa por posições como num game de corrida comum, incluindo as rampas e curvas fechadas que remetem ao motocross. Aliás o game ainda possui um modo Stunt apenas para manobras.
Por falar em motocross, inicialmente o projeto se tratava justamente de um game dessa modalidade, mas devido a alguns problemas com as limitações de hardware para o que eles queriam fazer, acabaram mudando o foco do jogo.

O som é um caso a parte! Como não se lembrar da trilha sonora inspirada no Surf Rock e aquela música pareceida com Misirlou do Dick Dale! Muito bacana!

A versão de PS1 permitia dois player com divisão de tela, porém sem outros competidores, apenas uma competição no mano-a-mano mesmo. Já a versão de PC possibilitava até quatro jogadores no multiplayer além de permitir o uso de 3Dfx, melhorando a resolução até colocando efeitos de reflexo na água(!) rsrs bons tempos, parece que foi a séculos atrás.

O game era muito bacana, além de chamar bastante a atenção por se tratar de um estilo novo, ainda por cima era poligonal! Tudo que era poligonal era novo naquela época rsrs. Lembro que por um acaso achei o disco no meio da pasta de jogos da locadora e me interessei pela pintura do CD (Players Edition rsrs). Pedi pro dono da loja colocar pra rodar e em pouco tempo uma galera juntou-se ao meu redor impressionados com o jogo.

O game foi desenvolvido pela SingleTrac, mesma responsável pelos dois primeiros Twisted Metal e que depois de comprada pela GT Interactive lançou Rogue Trip, considerado por muitos o "verdadeiro" Twisted Metal 3. Mas eu gosto do terceiro feito pela 989 Studios, o jogo é bom, a galera é que enche o saco que TM2 era melhor e bla bla bla whiskas sachê. Bom, era melhor mesmo, mas TM3 também é legal sobretudo nos gráficos e jogabilidade, do quarto em diante é que foi ladeira abaixo mesmo.

Aliás, também foi a 989 Studios quem assumiu, junto da Pacific Coast, o desenvolvimento de Jet Moto 3, quando a SingleTrac foi adquirida pela GT. Além disso outras duas sequencias chegaram a ter seu inicio confirmado. Jet Moto 2124 seria lançado para PS1 e ficou cerca de dois anos em desenvolvimento pela Pacific Coast, até que acabou cancelado.
Jet Moto SOLAR foi confirmado para PS2 , porém nenhum video ou mesmo foto do game foram divulgados e o jogo acabou cancelado em 2003.

Taí um game que ficaria muito maneiro numa versão atual, mas na falta de uma dessas, corra atrás da ISO do CD, o jogo ainda diverte bastante hoje em dia e dá pra jogar de boa, mesmo com o visual bem datado.

Bom pessoal é isso, próximo Domingos é sobre o GP de Cingapura onde, e o Galvão fez questão de frisar bastante hoje, Vettel pode ser sagrar campeão com cinco corridas de antecipação. E você? Está torcendo pra isso? Eu tô e não tô por vários motivos, mas eu sou um velho rabugento, então nem vamos nos alongar nesse assunto. Até a próxima! 


2 comentários:

@brunocm_ disse...

Vettel não pode vencer tão cedo...
Poxa, ai o resto do campeonato fica meio sem graça...

Anônimo disse...

Sinceramente. . .
Um dos piores jogos de PS1 que eu tenho e que já joguei! Não é lá grandes coisas.

Postar um comentário

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...